[RESENHA]: Minha Vida (não tão) Perfeita - Sophie Kinsella | Galera Record

em 01 março 2018


AUTOR: Sophie Kinsella
GÊNERO: Romance, Chick-lit
LANÇAMENTO: 2017
PÁGINAS: 406
EDITORA: Galera Record
ADICIONE NO SKOOB
COMPRE: AMAZON | SARAIVA | SUBMARINO

SINOPSE:
"Dramas, confusões e uma boa dose de amor são os ingredientes do novo romance de Sophie Kinsella, uma divertida crítica aos julgamentos errados que uma boa foto no Instagram pode gerar Cat Brenner tem uma vida perfeita: mora num flat em Londres, tem um emprego glamoroso e um perfil supercool no Instagram. Ah, ok... Não é bem assim... Seu flat tem um quarto minúsculo – sem espaço nem para guarda-roupa –, seu trabalho numa agência de publicidade é burocrático e chato, e a vida que compartilha no Instagram não reflete exatamente a realidade. E seu nome verdadeiro nem é Cat, é Katie. Mas um dia seus sonhos se tornarão realidade. Bom, é nisso que ela acredita até que, de repente, sua vida (não tão) perfeita desmorona. Demeter, sua chefe bem-sucedida, a demite. Tudo o que Katie sempre sonhou vai por água abaixo, e ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset. Em sua cidadezinha natal, ela decide ajudar o pai e a madrasta com a nova empreitada do casal: os dois planejam transformar a fazenda da família em um glamping, uma espécie de camping de luxo e estão muito empolgados com o novo negócio, mas não sabem muito bem por onde começar. E não é justamente lá que o destino coloca Katie e sua ex-chefe cara a cara de novo? Demeter e a família vão passar as férias no glamping, e Katie tem a chance de, enfim, colocar aquela megera no seu devido lugar. Mas será que ela deve mesmo se vingar da mulher que arruinou sua vida? Ou apenas tentar recuperar seu emprego? Demeter – a executiva que tem tudo a seus pés – possui mesmo uma vida perfeita ou, quem sabe, as duas têm mais em comum do que imaginam? Porque, pensando bem, o que há de errado em ter uma vida (não tão) perfeita? "

Olá fofoqueiros, quanto tempo hein (não diga...), mas cá estamos nós novamente com novidades (inclusive um tal de sorteio em breve).
Como eu sou uma pessoa que não enrola e vai logo ao ponto (só que não), queria trazer hoje pra vocês uma resenha do livro Minha Vida (não tão) Perfeita da talentosa Sophie Kinsella. Terminei a leitura dia 28 de fevereiro e estou sem reação até agora (não, eu não exagero, sou muito razoável), então vamos a resenha (finalmente).


Katie ou Cat Brenner (leiam e descubram *risos maléficos*) é uma jovem adulta de 26 anos que vive uma vida bem diferente do que posta no Instagram. Há 7 meses ela trabalha numa empresa de publicidade e tenta sempre uma promoção, pra isso ela vai tentar impressionar sua chefe Demeter (sim, isso é um nome), mas mesmo com todo esforço e otimismo, ela acaba sendo demitida. A partir daí muitas confusões acontecem, vamos dar muita risada, mas também aprender com a garota forte, otimista e sonhadora que é Katie Brenner.


Agora que escrevi pra vocês o resumo do livro, vamos falar sobre revisão e gramática. Erros ortográficos nesse livro? Só me lembro de ver de 3 a 4 erros de escrita, o que é excelente para um livro com mais de 400 páginas, fora que quanto menos erros encontrarmos, mais fluida e fácil é a leitura. Escrito de maneira popular, o livro é lido facilmente por diferentes faixas etárias e mesmo uma pessoa que não é acostumada a ler não terá dificuldades de leitura. Quanto a tradução do livro, parabenizo a Carolina Caires Coelho pelo excelente trabalho.

Agora falando de enredo, a autora circula muito bem entre tempos, em alguns momentos a Sophie usa os termos "3 meses depois ou 2 semanas", o que nos poupa de narrações repetitivas sobre a vida da mocinha, em outros momentos ela nos permite passar dias acompanhando de perto a vida da Katie, isso ajuda a conhecermos melhor os personagens e acabamos nos apaixonando pelos mesmos. Narrado em 1° pessoa, a obra nos faz rir, chorar e sentir como se estivéssemos ali, no lugar da mocinha. Amei cada momento dessa leitura e me emocionei com cada lição aprendida pela garota Brenner.


Vamos então fofocar sobre a capa e diagramação. vou colocar aqui a capa original do livro e a capa feita pela Editora Record (gosto mais da brasileira, mas é uma questão de opinião), comparem e me digam qual é mais bonita.


Li o livro em formato digital, mas pelas imagens que encontrei na web, o livro conta com uma capa linda de bonita e uma diagramação simples, como vocês vão poder ver abaixo.

😍 Muito amor por essa capa 💗

Muita fofura 😊💞
Ficaria mais bonito na minha estante 😏😁

Estas fotos foram retiradas da web, dos seguintes blogs: Mais um Leitor, Dani que Disse e Minha Vida Literária.


Agora que tal fofocarmos sobre a vida alheia? Sim, isso mesmo, agora é a hora de conhecer alguns dos personagens, quem está curioso?

Katie Brenner: Sempre positiva, Cat faz de tudo pra agradar sua chefe, na intenção de que ela enxergue seu esforço e seu talento e finalmente lhe dê uma promoção. A principio a nossa Cat está tentando ser outra pessoa, mas com o tempo ela consegue se encontrar e gostar da Katie que ela vê no espelho. Forte, otimista e teimosa, ela vai nos mostrar que certos males vem pro bem e que se lutarmos pelos nossos sonhos no fim, ele pode sim se tornar realidade.

"Um dia vou trabalhar com branding. Ainda vou atravessar a Waterloo Bridge e pensar: Esta é a minha cidade. Eu vou chegar lá."
"No momento, tenho as ensação de que sou duas pessoas. Sou a Cat, tentando viver em Londres, e sou a Katie, ajudando a cuidar de um glamping , e é bem cansativo ser as duas."

Demeter: A talentosa diretora-executiva de criação na empresa Cooper Clemmow. Bonita, bem sucedida, um marido bonito e dois filhos. Aparentemente a vida dela é perfeita, mas as vezes as aparências enganam. Com o tempo vamos descobrir que na verdade a "megera" é apenas uma consequência da vida que teve e de suas ações impensadas. Amo cada defeito e qualidade dessa personagem, tenho certeza que você também irá aprender a ama-la.

"Tudo o que alguém poderia querer na vida, ela tem. Emprego, família, atitude."

"É alta, magra, tem cabelos pretos sedosos e, como eu já falei, sobrancelhas incríveis. Não sei quanto ela ganha, mas mora numa casa maravilhosa em Shepherd’s Bush — pela qual, ao que parece, pagou mais de 2 milhões (minha amiga Flora me contou)."

"E a única coisa que me intriga agora é: por quê? Demeter tem uma vida perfeita. Por que ela está chorando de soluçar na crina do Carlo, pelo amor de Deus?"


Minha Vida (não tão) Perfeita, não é apenas um livro que nos faz rir, mas uma obra que nos traz diversas lições.
Como por exemplo a vida de aparências da mocinha, que posta fotos no Instagram de uma vida que não é a dela.

"Muitas pessoas usam filtros coloridos e essas coisas no Instagram. Bom, meu filtro é o filtro do “é assim que eu queria que fosse”."

A relação difícil entre pais e filhos.

"Quem está vendo de fora não tem a menor ideia do que se passa. Qualquer pessoa poderia pensar que somos um pai e uma filha juntos e felizes no dia de Natal. Nunca perceberia as ondas de mágoa e culpa invisíveis que carregamos."

Ou o fato da mocinha ter perdido sua mãe aos 5 anos e ter sido criada pelo pai.

"Quando me permito, eu ainda sinto o triste vazio deixado pela ausência dela... mas isso não é frequente. De alguma forma, seria desleal com meu pai. Conforme fui crescendo, percebi quanto deve ter sido difícil para ele ter me criado sozinho durante todo esse tempo. Mas ele nunca deixou que eu percebesse, nem uma vez. Foi tudo divertido, era sempre uma aventura para nós
dois."

Um livro emocionante e cheio de surpresas, que prende o leitor a cada capitulo e nos obriga a sentir e refletir sobre quem somos de verdade. Indico a todos os que procuram uma leitura de aprendizado e esperança.

Sigam os perfis do livro no Instagram→ @minhavidanaotaoperfeita e @mynotsoperfectlife

Bom fofoqueiros, por hoje é só, espero que  tenham gostado e ficado curiosos. Beijinhos em todos vocês!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, tudo bem? Espero que sim. Sua visita é uma alegria para mim, mas ficaria muito mais feliz com um comentário seu.
Beijinhos!



Atualizações do Instagram

Topo